Impressora fiscal armazena e repassa dados da Nota Fiscal Paulista à fazenda

Impressora fiscal armazena e repassa dados da Nota Fiscal Paulista à fazenda

0 392
impressora fiscal bema
impressora fiscal bema

A Impressora fiscal produz o cupom fiscal e guarda suas informações na memória

É através da impressora fiscal que a maioria das empresas organiza os dados de seu fluxo de vendas. E é justamente na memória deste equipamento que ficam guardadas as informações de todas as compras realizadas. Juntamente com elas, está o cpf dos clientes que solicitaram a Nota Fiscal Paulista. “Desde que o programa começou, nunca deixo de pedir. Normalmente, eu recebo em torno de R$100 a cada semestre, que uso para abater no ipva do carro. Não é muito, mas já é uma economia. É como ter um jantar pago pelo governo a cada seis meses”, conta a professora de artes Sheila Lutz.

Originalmente a impressora fiscal tem duas funções: dar um recibo de compra ao cliente e evitar a sonegação fiscal. A parte do recibo é bem óbvia, mas para entender a segunda parte, é necessário conhecer mais da estrutura de funcionamento do equipamento. Além do sistema de impressão, este modelo especifico possui uma memória interna que registra as informações enviadas pelo computador a ele conectado.

“Não há melhor forma de vigiar o faturamento de uma empresa do que fazer uma cópia do recibo de cada uma de suas vendas”, brinca o contador Cristiano Sutter. Ele afirma que a legislação obriga todas as empresas com faturamento a partir de R$120 mil anuais a registrar seus negócios com a impressora fiscal especificamente. “É uma ferramenta engenhosa, simples e direta. Não dá pra fugir da fiscalização”, ele completa.

Para o consumidor, a impressora fiscal é uma garantia de que os seus dados estão salvos e serão enviados automaticamente à secretaria da fazenda. “A memória da impressora fiscal é inviolável, ela guarda tanto o valor total de vendas de cada dia, como também salva todos os cupons impressos. A própria Nota Paulista também é mais uma manobra para evitar as fraudes. Os aplicativos que gerenciam a impressora têm a opção de se conectar aos servidores da secretaria da fazenda para fazer o upload das informações. Por isso, quando entramos no site, há todos os detalhes da compra, e o cálculo do crédito a ser recebido de volta”, explica a advogada tributária Leticia Braga.

“Costumo incluir sempre o eu cpf em cada compra e nem imaginava que era aquela pequena impressora fiscal que guardava os meus dados. Mas pensando bem, é melhor que seja assim, automático. Pegue o caso de um hipermercado. Quantos funcionários eles não teriam de usar para digitar o cpf de todo mundo? Vai que eles esquecessem bem o meu?”, faz piada a vendedora Ilana Morais, “é claro, que de qualquer forma seria um sistema, mas integrar à algo que já existe foi uma saída muito boa”, complementa a garota em tom mais sério.

NO COMMENTS

Leave a Reply